Em sua segunda edição, o Prêmio FOCO Bradesco ArtRio selecionou três artistas brasileiros: Anna Costa e Silva, Renato Hofer e Ricardo Càstro. Além de terem seus trabalhos expostos na ArtRio 2014, eles participaram de residências artísticas seguidas de mostras individuais em três importantes instituições do cenário atual, com bolsas para se dedicarem exclusivamente às suas pesquisas durante o período de seis semanas.

A premiação aconteceu no dia da abertura da quarta edição da ArtRio, 10 de setembro, no Armazém 2 do Píer Mauá. A escolha dos vencedores foi realizada por uma comissão composta por Bernardo Mosqueira, diretor do Prêmio; Maria Montero, curadora e gestora do Espaço Phosphorus (São Paulo); Consulelo Bassanesi e Miguel Sayad, diretores do Largo das Artes (Rio de Janeiro); e Fabiana de Moraes, curadora e gestora do Sens ́artLab (Paris).

Em comum, todos os três artistas selecionados têm trabalhos experimentais, incluindo atividades de performance e fotografia e a utilização de vídeo. Na inscrição do Prêmio, foram enviadas duas propostas – uma para a obra a ser apresentada dentro da ArtRio e outra com a pesquisa e trabalho a ser desenvolvido durante as residências. Em comum entre todos os jovens artistas está a opção por trabalhos muito processuais, com a participação de terceiros e dependente de ações externas, o que permite interações e compreensões diferentes por parte do público.

Júri / Residências

Premiados

Ricardo Càstro

Arquiteto por formação, divide seu tempo e trabalho entre as cidades de São Paulo e Nova York. Criador do movimento Abravana, base de seu trabalho, vai aprofundar sua pesquisa relacionada à elaboração dos objetos manipuláveis, elementos que instigam a ação do corpo no espaço e detonam as Ações. Abravana, na definição do próprio artista, pode significar “abre e vai”.



Renato Hofer

Natural de São Paulo, o artista é arquiteto formado pela FAU-USP. Estudou cenografia no Centro de Pesquisa Teatral de Antunes Filho e se iniciou nas práticas de performance e instalação com a artista norueguesa Inghild Karlsen. O projeto que será desenvolvido durante a residência tem o tema P.A.R.I.S.P.H.E.R.I.Q.U.E, com a proposta de exploração do território através do caminhar por percursos que se desenvolvem ao redor do núcleo de formação da cidade de Paris, com a realização de registros em diferentes mídias.



Anna Costa e Silva

A artista nasceu no Rio de Janeiro em 1988. Mestre em Artes Visuais pela School of Visual Arts, em Nova York, e formada em Cinema pela UGF-RJ, desenvolve projetos híbridos que têm o encontro e a potência humana como principais interesses.

Em 2014 ganhou o prêmio FOCO Bradesco ArtRio, dirigido pelo curador Bernardo Mosqueira. Realizou, também, sua primeira exposição individual, Assíntotas, na Caixa Cultural, com a curadoria de Franz Manata. No mesmo ano, e expôs a instalação Autorretrato no Centro Cultural Justiça Federal e participou de duas coletivas em Nova York. Em 2013, foi contemplada com a bolsa Edward Zutrau Memorial Award for Fine Arts e em 2012 com a American Austrian Foundation Prize for Fine Arts, competindo com mestrandos de todas as universidades americanas. Foi artista residente na School of Making Thinking e na Salzburg Academy of Fine Arts.

Começou sua carreira dirigindo curtas metragens, exibidos em festivais desde 2007 em países como França, Portugal, Estados Unidos e Australia, com os quais ganhou prêmios como o Accolade Award for Excellence nos EUA e Nomination for Best Experimental Film na Bulgária, em 2009. Foi assistente de direção em 8 longas metragens, colaborando com diretores como Cacá Diegues, Jorge Durán, Arnaldo Jabor e Marcos Prado.