ArtRio

Luiz Philippe apresenta a individual “Ilusionista”

Em sua nova exposição na Galeria Marcia Barrozo do Amaral, o artista Luiz Philippe, mineiro radicado no Rio desde os anos 80, apresenta uma série de trabalhos marcados pelo desvio da realidade através de tromp-l’oeils e falsas perspectivas. Com abertura no dia 30 de novembro, a individual “Ilusionista” reúne 17 esculturas e assemblages (entre peças únicas e múltiplos), inéditas em sua maioria.

“Tirei o título da mostra de uma das obras que dá o conceito geral do meu trabalho, que tem um pé no surrealismo e também no humor e nonsense. Eu lanço muito mão de perspectivas ilusórias. Gosto de criar situações que desviam as pessoas de seus pontos de vista normais. E isso funciona como janelas, como um preparo – ou melhor, um ‘despreparo’ - para que sejam enxergados outros aspectos simbólicos das peças”, conta o artista.

Este espectro do fantástico, do mágico e lúdico, já vem amadurecendo dentro da pesquisa artística de Luiz Philippe desde 2010. Na obra “Casa Imprópria”, por exemplo, um lar de madeira trancado à cadeado, a chave se encontra dentro do mesmo. No “Equilibrista”, o desafio de uma corda bamba, tendo uma caixa de madeira como vestimenta. Em “Túnel”, uma ilusão de ótica de profundidade, que remete a antigos cubos de brinquedo, onde se tenta abrir um túnel. Outra obra, um painel de lona “Macaco”, é uma referência aos desenhos que ornavam tradicionais parques de diversões, sendo também uma espécie de convite para o público interagir com a obra.

Outro destaque da exposição é o múltiplo “Minas Terrestres”, uma caixa de ferro em falsa perspectiva, de onde parece escorrer ouro. Este trabalho faz menção ao desastre ecológico ocorrido no município de Mariana, em 2015, quando uma barragem de uma mineradora se rompeu. “O duplo sentido do nome liga o potencial destruidor das minas terrestres a Minas Gerais. E o ouro simboliza a busca da riqueza a qualquer custo”, explica Luiz Philippe.

Serviço:
Galeria Marcia Barrozo do Amaral
Shopping Cassino Atlântico (subsolo, sala 129)
Av Atlântica 4240, Copacabana
Funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 19h
Entrada gratuita